Há pouco mais de um ano, assumi o compromisso de ajudar, como CTO, a Guiando a escalar seu negócio e seus resultados.

Entendo que o caminho para esse objetivo é o uso racional de tecnologia, afinal, uma vez digitalizado, todo negócio tem potencial de crescimento exponencial. É exatamente essa mentalidade que estamos imprimindo na Guiando e que adoto em minhas consultorias.

Nesse post, compartilho algumas diretrizes práticas que estamos adotando e que já estão dando resultados.

Quem é a Guiando?

A Guiando é uma empresa especializada na gestão de custos faturados. Ela atende organizações de diversos tamanhos, mas é notoriamente focada naquelas de grande porte. A especialidade da empresa é organizar controle e pagamento de custos faturados, identificando eventuais erros de cobrança, bem como oportunidades de redução de custos.

Diretriz #1: Ser uma empresa de tecnologia

Pela natureza do negócio, a Guiando é uma empresa de consultoria em custos faturados que utiliza tecnologia. Trata-se de um negócio justo e valioso, porém difícil de escalar.

Por causa disso, nos últimos tempos, estamos reorientando a organização, transformando-a em uma empresa de tecnologia, capaz de produzir insights e identificar desvios de forma automatizada.

Em termos simples, somos cada vez menos uma empresa de consultoria que fornece tecnologia. Somos cada vez mais, uma empresa de tecnologia que também presta consultoria.

Diretriz #2: Sempre que possível, padronizar e automatizar (com inteligência)

O caminho para escalar negócios começa, sempre que possível, pela padronização e automação de atividades.

A ideia central é permitir que as pessoas utilizem melhor o seu tempo. Por exemplo, queremos nossos consultores produzindo insights (que tem mais valor agregado) e não escrevendo relatórios.

No último ano, transformamos o processo de geração de um dos nossos principais relatórios, de não padronizado, difícil de atualizar e manual em padronizado, fácil de atualizar e automático.

Diretriz #3: Assistir a geração de insights com análise de dados

É papel de tecnologia fornecer informações qualificadas, sem dúvidas. Mais do que isso, entendemos que é fundamental que passemos a fazer provocações inteligentes.

Na Guiando, passamos a intensificar a utilização de modelos matemáticos, estatísticos e de dados para identificar padrões e promover questionamentos. Essa diretriz tem colaborado para que nos tornemos mais eficientes (fazendo tudo mais rápido e, em consequência, com custo ótimo), mas também mais eficazes (identificando oportunidades ineditas para todos os nossos clientes).

Diretriz #4: Garantir aprendizagem contínua e automatizada

Nosso ambiente é muito dinâmico. Precisamos manter diversas integrações funcionando para gerar o menor volume de atrito possível na adoção de nossas soluções.

Hoje, estamos utilizando técnicas de inteligência artificial para ampliar nosso suporte a integrações, bem como responder de forma mais eficiente a mudanças. Nossos sistemas conseguem interpretar mudanças e fazer ajustes automaticamente graças a tecnologia.

Diretriz #5: Delegar decisões do dia-a-dia para uma inteligência artificial

Decisões do dia-a-dia, embasadas em critérios claros, podem e devem ser automatizadas.

Na Guiando, passamos a adotar inteligência artificial para fazer a classificação das demandas de suporte. Essa inteligência “lê” cada solicitação, interpreta e direciona. Até aqui, estamos muito satisfeitos com os resultados obtidos (ninguém na empresa percebeu a mudança que promovemos, ou seja, não notaram que o trablaho deixou de ser feito por um ser humano para passar a ser feito por uma inteligência artificial).

Concluindo

As diretrizes acima estão tornando o negócio da Guiando escalável. Isso demonstra que, mesmo empresas com fortes bases em consultoria, podem surfar a onda do crescimento exponencial gerando melhores resultados aos investidores, através da prestação, cada vez mais qualificada, de serviços aos clientes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *