Um de nossos objetivos, nesse momento, é  melhorar a comunicação, compartilhando a visão do nosso fluxo de trabalho com a empresa inteira. Nesse post, falo de nossas conclusões sobre a adoção de quadros físicos e virtuais.

NOTA DO ELEMAR: Este é mais um post do Fernando Neiva. Novamente, sou apenas Editor.

Momento #1 – Quando queríamos ser apenas virtuais

Começamos nossa aventura com kanban usando TFS, Jira e Trello.

  • TFS, para gestão do desenvolvimento do software e priorizações pela área de negócios;
  • Jira, como mecanismo para que nossos usuários reportassem bugs;
  • Trello, sincronizado com TFS, como mecanismo de acompanhamento remoto para o Elemar.

Tínhamos a percepção de que seria retrabalho manter um controle virtual e outro físico (quadro com post-its). Por sermos uma empresa de tecnologia, parte do nosso time entendia que não faria sentido manter um painel fixado na parede.

Momento #2 – A adoção de um painel físico

Nos comentários do post anterior, Hugo Estevam (conhecido do Elemar e praticante experiente de agilidade) compartilhou conosco alguns benefícios de um quadro físico, com post-its de verdade, que estava obtendo na empresa onde trabalha. Após alguma reflexão, decidimos que seria oportuno experimentar.

Agora, mantemos quadros virtuais, no TFS, e outros físicos, com post-its, nas salas, junto aos times. Nossa percepção é que, de fato, as duas abordagens são complementares, cada uma contribuindo em determinados aspectos.

O melhor nas duas abordagens

Percebemos que o quadro kanban virtual …

  • Simplifica a geração e controle de métricas
  • Melhora a gerência de configuração relacionando as atividades ao código
  • Facilita a consulta dos detalhamentos das necessidades e regras de negócio relacionadas a cada item
  • Facilita a comunicação com times distribuídos (lembrando que o Elemar, por exemplo, fica com a gente apenas uma semana por mês)

Já o quadro kanban físico, com Post-its…

  • Gera impacto psicológico positivo no time (tema para outro post)
  • Dá um retrato instantâneo, simples de perceber, de como está o ritmo de trabalho
  • Incentiva o envolvimento de outras áreas

O que vamos experimentar agora…

Inicialmente, buscamos uma abordagem simples, de menor impacto. Por isso, começamos escrevendo nos post-its apenas o código do item no TFS (o código de cores indica que tipo da atividade). Entretanto, acreditamos que vale a pena inserir uma breve descrição.

Afinal, físico ou virtual?

Para nós, por enquanto, a resposta é físico E virtual. Mas, sabemos que estamos apenas começando.  Adoraríamos saber sobre sua experiência.

Mais posts da série “Kanban no Mundo Real”:

5 Comentários
  1. Elemar, boa iniciativa compartilhar esse tipo de experimento !!!

    Na empresa onde estou trabalhando (em Portugal), também temos um controle Virtual (Jira) + Kanban flow Fisico. Aqui já usam essa técnica há algum tempo e tem trazido bastante resultado positivo.

  2. Ótimo post, concordo que existem vantagens e desvantagens em cada tipo de quadro. Já experimentei com alguns times utilizar o quadro físico apenas como Kanban de portfólio, com informações macro sobre o desenvolvimento dos produtos. Assim no virtual mantemos o detalhe do desenvolvimento e toda a facilidade em extrair métricas sem perder o radiador de informações para as áreas de negócio. Yes, we Kanban!

    1. Obrigado, Thiago. Também estou achando as duas abordagens bastante complementares. Obrigado por compartilhar sua experiência.

  3. Ah e para não perder a visão dos bugs você pode utilizar aqueles adesivos que de bolinhas vermelhas nos cards de projetos ou produtos que estão no Kanban de portfólio. Vai “incomodar” da mesma forma. Abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *